Núcleo de Corretoras promove ação alusiva ao Maio Amarelo

1 de junho de 2015

 

Todos os anos, milhares de pessoas morrem ou ficam feridas em acidentes de trânsito. Para evitar essa realidade e incentivar a conscientização, o Núcleo de Corretoras de Seguros da Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit) se envolveu e realizou uma bliz educativa no último sábado (30/05). A ação faz parte da campanha internacional do Maio Amarelo, que visa a redução de acidentes.

A blitz foi realizada na esquina da Rua Barão do Rio Branco com o Largo São Vicente de Paula, no centro de Toledo e contou com o apoio do Sindicato das Corretoras de Seguros (Sincor), Acit, Polícia Militar, Guarda Municipal e Prefeitura de Toledo.

Segundo o integrante do Núcleo, Carlos Polachini, o objetivo da ação foi alertar a população sobre o índice de mortes e feridos no trânsito em todo mundo. "Precisamos colocar esse assunto em pauta na sociedade, estimular a conscientização e participação da população, de empresas, do governo e entidades para dar atenção a essa questão", afirmou.

Já para Luiz Dullius, também integrante do Núcleo de Corretoras e representante do Sicor, a blitz educativa celebrou o movimento internacional do Maio Amarelo, que nasceu com a missão de promover a conscientização e reduzir o número de acidentes. "É uma campanha onde a gente também pode levar a todos os motoristas e pessoas interessadas, algumas informações, não apenas sobre acidentes ou prevenção, mas também sobre ter mais gentileza na hora de dirigir, respeitar mais os pedestres, as pessoas de idade e todos os usuários do trânsito".

Na ocasião, o comandante do pelotão de trânsito da Polícia Militar, Lúcio da Silva Dziuba destacou que, em toda ação que promova a educação no trânsito, a PM estará presente. Segundo ele, neste ano Toledo não registrou nenhum acidente com vítima fatal na área urbana, apenas nas rodovias, porém, não se pode deixar de promover a conscientização. "Algumas pessoas, quando assumem a direção de um veículo, esquecem que existem pedestres, ciclistas e outros condutores. Elas acham que são donas das vias, então é preciso promover a educação no trânsito, o respeito e a conscientização que normas, sinalização e outros presentes devem ser respeitados", comentou.