Projeto da APAC é apresentado a empresários na Acit

Projeto da APAC é apresentado a empresários na Acit

O projeto de implantação da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) no município de Toledo foi apresentado à Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit), durante a reunião ordinária da diretoria, na manhã desta quarta-feira (17).

A juíza da 2ª Vara Criminal de Toledo, Luciana Lopes do Amaral Beal, acompanhada do presidente do Conselho da Comunidade, Gilmar Malacarne, e do presidente da APAC, Ramassés Mascarello, apresentou o projeto que propõe novos rumos da execução penal no município, por meio da ressocialização dos condenados.

Segundo a juíza, o objetivo é trabalhar dentro desta perspectiva em Toledo, depois de muitos estudos a respeito desta metodologia e a partir dos resultados apresentados, como na experiência pioneira em Minas Gerais, desde a década de 1980, comprovando a redução nos índices de reincidência dos apenados.

A APAC atuará junto com o Conselho da Comunidade e o Tribunal de Justiça, com foco na recuperação e reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. “Com a APAC pretendemos recuperar e ressocializar o preso condenado que quer passar por esse processo de transformação”, explicou a juíza.

Conforme a juíza Luciana, a realização deste trabalho necessita do apoio da sociedade, a qual também é beneficiada. “Queremos romper com esse ciclo. Não vamos conseguir eliminar a criminalidade, mas contribuirá muito, pois um condenado ressocializado, que deixa criminalidade, consequentemente estaremos protegendo futuras vítimas, afinal, todos somos suscetíveis”, argumenta.

No Paraná, o município de Barracão também já implantou a APAC. Em Toledo, segundo a juíza, a intenção é que a estrutura seja edificada até o final deste ano. A prefeitura já fez a doação de terrenos e da estrutura do barracão. “Sem o apoio da comunidade não será possível caminhar, a coisa não vai acontecer. Precisamos que as pessoas se engajem, que a comunidade una forças”, destaca. A proposta é iniciar com cerca de 40 vagas para homens.

A juíza também convidou a diretoria da Acit para participar de um seminário sobre o tema, programado para o dia 8 de abril, no auditório da Unipar. O evento contará com a presença do desembargador Paulo de Vasconcelos, presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, que segundo ela, vem apoiando a instalação de APACs em todo o estado.

Apoio

Conforme o presidente da Acit, Danilo Gass, este é um trabalho de grande importância para a comunidade, e já tem experiências muito bem sucedidas em outras regiões do país. Além disso, o custo de manutenção dos presos é bem menor. No sistema convencional, um preso custa cerca de 4 salários mínimos, enquanto na APAC é de um. “O sistema de disciplina é rigoroso e sabemos que o índice dos que não retornam à criminalidade passa de 90%. O trabalho de ressocialização dos apenados é uma obrigação, porque estas pessoas têm o direito de voltar à convivência na sociedade”, explica.

Danilo destaca que a Acit sempre foi parceira do Conselho da Comunidade, desde sua criação, em 2005, e serão avaliadas formas de apoio ao projeto da APAC. “Temos nosso representante no conselho, Ramassés Mascarello, e continuaremos essa parceria. Discutiremos junto com a pasta de Responsabilidade Social uma forma de ajudar, provavelmente com aporte de recursos, e levaremos para apreciação da diretoria. Ficamos satisfeitos porque mais uma vez a sociedade toledana está se organizando para tentar recuperar estas pessoas, e o grande beneficiado é a própria comunidade, pois isso representa mais segurança”, salienta Danilo.

REDES SOCIAIS

Receba nossas novidades

Cadastre-se em nossa newsletter e fique
por dentro de tudo que acontece.