fbpx

Palestras sobre agricultura digital e cibersegurança fizeram parte da primeira noite do PIG DATA 2023

30 de outubro de 2023

Na quinta-feira (26), o evento PIG DATA recebeu as palestras Agricultura digital e Mapeamento Agrícola, com Aline Regina Limberger Cassel e, Cibersegurança em Agrotech, com Lucas Dartora.

No palco do evento, Aline Regina Limberger Cassel falou sobre a Agricultura Digital, abordagem estratégica que utiliza tecnologias avançadas para otimizar o cultivo, aumentar a produtividade e reduzir os impactos ambientais.

Em sua apresentação, Aline abordou que a produção de grãos brasileira deverá atingir 390 milhões de toneladas, um crescimento de mais de 24%, sendo impulsionado pelas lavouras de soja, milho segunda safra e algodão, de acordo com um estudo do Ministério da Agricultura e Pecuária. “A Agricultura Digital, que combina tecnologia e agricultura, desempenha um papel estratégico nesse crescimento. Alguns exemplos de ferramentas de Agricultura Digital incluem: Coleta de Dados; Análise de Dados e Tomada de Decisões”, explica.

Entre as vantagens da agricultura digital, Aline Cassel pontua. “Aumento da eficiência, redução de desperdícios, maior produtividade, promoção da sustentabilidade e tomada de decisões embasadas em dados. No entanto, também existem desafios, como os custos iniciais, a segurança dos dados agrícolas e o acesso à tecnologia. No futuro, espera-se que a Agricultura Digital se beneficie ainda mais com o uso de inteligência artificial, nanotecnologia e computação em nuvem”, conclui.

Na sequência, Lucas Dartora apresentou a palestra Cibersegurança em Agrotech. Em sua apresentação, ele trouxe informações valiosas ao público que acompanhava o evento. “O agronegócio representa uma parcela significativa do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil (cerca de 23%), muito por conta de ser um negócio em expansão, rentável, produtivo e com muita tecnologia embarcada. Fazendo uma breve analogia, atualmente no agronegócio utiliza-se diversas tecnologias, dentre elas podemos citar: sensores IOT (Internet das Coisas) para controlar o plantio, além de plataformas de Big Data, Analytics e Inteligência Artificial (IA) para análise e correlação de dados. Além disso utiliza-se aplicações de robótica como drones e outros dispositivos, para captação de grandes volumes de dados”, afirma.

Ele ressalta que de acordo com o levantamento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o agronegócio já incorporou internet em 70% dos negócios e aplicativos (57%) estão entre as mais recorrentes; GPS (20%), imagens de satélites (17%) e sensores (16%), como aquelas ligadas diretamente ao processo produtivo. “Com todos esses dados trafegando e sendo eles sensíveis ao negócio, pois se tratam de dados que auxiliam nas estatísticas das safras, tomada de decisão da melhor forma de realizar a manutenção do plantio, além de informações fiscais, de fornecimento e distribuição é extremamente necessário a estruturação de uma camada de segurança de dados para realização de análise de vulnerabilidades, testes de penetração (Pentest) nos servidores, bancos de dados e sistemas que são utilizados para sustentar as tarefas de análise de dados.”, explica.

O PIG DATA 2023 é uma realização ACIT, com patrocínio da Cresol Integração.

Apoio: Sebrae PR, RIC TV, InovACIT, Prefeitura de Toledo, Secretaria Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Agronegócio, de Inovação, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Núcleo Regional de Educação e Sorriso Toledo.

Parceria: PUC PR, Unipar, Fag Toledo, UTFPR, Unioeste, Sesc | Senac, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Funtec, Biopark e Hefestus.