Manifesto ACIT: entidade é contrária ao lockdown decretado em todo o Paraná

Manifesto ACIT: entidade é contrária ao lockdown decretado em todo o Paraná

A Associação Comercial e Empresarial de Toledo (ACIT), entidade que representa mais de 4 mil empresas no Município de Toledo, é contrária ao lockdown decretado nesta sexta-feira (26.02.2021) em todo o Paraná e que também atinge Toledo.

Os empresários não podem pagar pela irresponsabilidade de parte da população que insiste em ignorar as medidas de prevenção. O setor produtivo vem trabalhando com responsabilidade, segurança e não é foco de contaminação.

Um novo lockdown vai gerar desemprego e reduzir a renda das famílias. Muitos empreendimentos vão falir, pois já se encontram em situação de fragilidade devido a lenta recuperação dos fechamentos anteriores. Muitas famílias serão obrigadas a ficar em casa sem ter recursos para necessidades básicas.

A ACIT entende que se devem impor medidas restritivas que impeçam aglomerações, como a Lei Seca e o toque de recolher, intensificando a fiscalização para punir os infratores.

O trabalhador e o empresário não devem pagar a conta das aglomerações clandestinas que, em sua grande maioria, ocorrem em horários alternativos aos do setor produtivo. Se existem donos de bares, restaurantes, cultos religiosos ou quaisquer outros empresários que promovem aglomerações e contribuem para espalhar o vírus, que sejam punidos. Este ônus não deve cair sobre quem luta para preservar a vida e trabalhar com segurança.

É preciso ampliar a fiscalização, aumentar a quantidade de leitos hospitalares, intensificar a realização de testes, realizar a tão esperada vacinação e ter a certeza de que as pessoas infectadas cumpram a quarentena com a disciplina necessária. Que se multe pesadamente quem não a cumprir, inclusive pecuniariamente.

A ACIT lamenta profundamente as mortes provocadas pela pandemia e ressalta que o lockdown não é a saída mais viável, pois abala a economia e contribui pouco para o combate ao vírus. Em muitos casos, prejudica mais do que ajuda.

Imunizar a população é uma medida emergencial e deve ser tratada como prioridade. Cabe ao Governo Federal atuar com mais eficiência e agilidade para que a vacinação chegue o mais rápido possível a todos.

O setor produtivo precisa continuar em funcionamento, contribuindo para a nossa sociedade com a responsabilidade e seriedade de sempre.

 

Atenciosamente,

Claudenir Machado.

Presidente da ACIT.

REDES SOCIAIS

Receba nossas novidades

Cadastre-se em nossa newsletter e fique
por dentro de tudo que acontece.