fbpx

INOVAMEAT: Ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues diz que Brasil precisa de estratégias para produzir 40% mais de alimentos

3 de abril de 2024

País precisa contemplar questões como: logística, meio ambiente, renda no campo, segurança energética e tecnologia

O agronegócio brasileiro precisará expandir 40% em 10 anos, para suportar o crescimento mundial de 20% na demanda de alimentos projetada pela Organização Mundial para Alimentação e a Agricultura (FAO). O alerta é do ex-ministro da Agricultura, professor emérito da Fundação Getúlio Vargas, engenheiro agrônomo e empresário, Roberto Rodrigues.

Ele ministrou a palestra magna no INOVAMEAT, principal evento de proteína animal do Paraná, que começou segunda-feira e termina nesta quarta-feira (03/04), no Centro de Eventos de Toledo, no Oeste do Paraná. “Eu acredito que o Brasil tem uma chance enorme de ser o campeão mundial da segurança alimentar e energética, mas o país ainda precisa de uma estratégia. Não temos uma estratégia articulada e integrada voltada para o agro”, afirmou ele, lembrando que cumprir essa meta não é fácil, porque as projeções mostram que Estados Unidos e Canadá não crescem 10%; os países da União Europeia e Oceania não chegam a 12%.

A estratégia que o país precisa deve contemplar questões que pesam sobre o setor, como logística e infraestrutura, meio ambiente, garantia de renda no campo, seguro rural, acordos comerciais com outros países, segurança energética e tecnologia. “Esses são temas centrais para que o Brasil seja o campeão mundial da paz. Para isso precisa ter vontade política e empresarial para fazer as coisas acontecerem”, reforça Rodrigues.

O aumento da produção brasileira virá do uso de novas tecnologias, onde a Embrapa continuará tendo um papel fundamental. “O Brasil, já conhecido por sua produção de etanol e biodiesel, também possui um grande potencial para a expansão de energia limpa. As fontes de energia renovável, como hidráulica, solar e eólica, são fundamentais para um futuro sustentável e estão cada vez mais presentes na matriz energética do país”, pontua. Já as desigualdades sociais serão enfrentadas, segundo ele, com a manutenção das pessoas no campo, como consequência do aumento da renda”.

Ele afirmou que a agricultura brasileira tem demonstrado um crescimento impressionante em eficiência e sustentabilidade ao longo das últimas duas décadas. A inovação tecnológica tem evoluído, assim como o uso de bioinsumos e a Inteligência artificial, que avança rapidamente no mundo. “Tudo isso pode levar o Brasil a uma maior produtividade agrícola. A adoção de novas técnicas e práticas de cultivo permitiu que o país cultivasse uma vasta quantidade de grãos em menos terra, preservando assim milhões de hectares de ecossistemas naturais.

O setor agrícola do Brasil tem demonstrado um crescimento impressionante ao longo dos anos, refletido não apenas nos números do PIB (24%), mas também na balança comercial do país. A expansão de mais de oito vezes nas exportações desde o ano 2000 é um testemunho da capacidade do Brasil de aumentar sua produção e presença no mercado global. No entanto, esse crescimento traz consigo uma série de desafios e responsabilidades. Aumentar a produção muitas vezes significa competir com produtores de outros países, o que pode levar a mudanças no mercado global. Além disso, há considerações importantes sobre a sustentabilidade e o impacto ambiental da expansão agrícola. Portanto, enquanto o Brasil celebra suas conquistas, também deve se concentrar em manter esse crescimento de maneira responsável e sustentável.

Rodrigues enfatiza a importância da paz para a segurança alimentar, ecoando a ideia de que sem paz não pode haver segurança alimentar. Seu compromisso com o trabalho e seu desejo de continuar contribuindo por mais duas décadas refletem sua dedicação e otimismo em relação ao futuro da agricultura e da alimentação mundial.

O INOVAMEAT segue até na quarta-feira, dia 3 de abril no Centro de Eventos Ismael Sperafico.

Assessoria de imprensa Inovameat Toledo.