Empresários e cidadãos toledanos se manifestam contra a situação política e econômica do país

Empresários e cidadãos toledanos se manifestam contra a situação política e econômica do país

Uma multidão de cidadãos toledanos participou da passeata realizada em Toledo, na manhã desta quarta-feira (6), com faixas, apitos, bandeiras e vestidos de verde e amarelo, mudando a rotina cotidiana do trecho da Rua Barão do Rio Branco, até a Avenida Maripá.

O movimento Feche por 1 hora para não fechar para sempre, é apartidário, contra a corrupção, a favor da moralização na gestão pública, em apoio ao Ministério Público na Operação Lava-Jato, entre outras bandeiras.

Empresários do comércio e indústria, com suas equipes de colaboradores, além de representantes de associações, sindicatos, colégios e outras instituições, cidadãos comuns, paralisaram suas atividades e participaram da manifestação, que foi tranquila e durou uma hora.

O Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Toledo (Sintratol) e Núcleo Setorial das Transportadoras, também aderiram à manifestação.

Conforme o presidente da Acit, Flávio Furlan, a manifestação foi um exemplo de civilidade, demonstra que a sociedade está preocupada com a situação política e econômica do país e quer ser ouvida por seus governantes e representantes públicos.

“Não aguentamos mais pagar a conta da má gestão do dinheiro público, dos desvios e da corrupção, que afetam o país e a sociedade. As empresas não suportam mais a alta carga tributária e estão fechando as portas, indo embora para outros países, como o Paraguai. Trabalhamos quase cinco meses para pagar os impostos, sustentar dezenas de ministérios, agências, milhares de departamentos. E ainda temos que escutar que tudo isso é culpa das investigações do Ministério Público e da Justiça Federal. Nossa manifestação é em apoio a estas instituições”, argumenta Flávio.

A sócia proprietária da loja Rede Nacional, Daniela Dorini ressalta seu apoio à manifestação. “A ação veio em uma ótima hora, precisamos nos unir, ser fortes. Estamos cansados de tanta corrupção e imoralidade no Brasil”.

O proprietário da loja LM, Gilberto Furlan, divide a mesma opinião. “Eu acredito que se sairmos na rua, mostrarmos nossa indignação, dias melhores virão no futuro do país”. Sobre o fechamento do comércio, o empresário apoia a causa. “É melhor fecharmos uma hora do que fecharmos o resto da vida”.

O empresário Cristiano Rocha, integrante do Núcleo Setorial de Corretores de Seguros de Toledo, acredita que ação pode ajudar a reverter a situação do país.“ O momento é complicado e tudo que pudermos fazer para mudar isso, só temos a acrescentar”, frisa.

REDES SOCIAIS

Receba nossas novidades

Cadastre-se em nossa newsletter e fique
por dentro de tudo que acontece.