fbpx

Diretoria da ACIT conhece o Ambulatório Materno Infantil – AMI do Município de Toledo

27 de junho de 2024

Durante reunião quinzenal da Diretoria Executiva da Associação Comercial e Empresarial de Toledo (ACIT), realizada na quarta-feira (26), foram apresentados detalhes sobre o Ambulatório Materno Infantil – AMI do Município de Toledo. A Secretária Municipal de Saúde, Gabriela Almeida Kucharski, juntamente com a coordenadora do AMI, enfermeira Márcia Mallmann, trouxeram informações sobre o funcionamento e os benefícios do programa de saúde pública.

Inaugurado em 2021 como parte das iniciativas do governo municipal para atender gestantes e crianças em situação de risco alto e intermediário, o Ambulatório Materno Infantil realiza uma média mensal de 320 consultas de ginecologia, 420 de pediatria e 180 consultas com a equipe multidisciplinar.

A estratificação das gestantes e crianças conforme o risco, determinado pela Secretaria de Estado da Saúde conforme a linha guia materno infantil, é realizada inicialmente pelas equipes das unidades de saúde, na abertura de pré-natal que atualmente é realizada pela equipe de enfermagem conforme protocolo municipal. Durante o pré-natal, qualquer sinal de alteração nos exames permite o encaminhamento imediato ao AMI, onde uma equipe multidisciplinar especializada oferece atendimento integrado. Caso seja necessário, os pacientes são encaminhados para outros profissionais, com agendamento prévio garantido.

Durante a apresentação à Diretoria Executiva da ACIT, a Secretária de Saúde destacou a importância de ampliar o conhecimento sobre o AMI, enfatizando que muitas pessoas ainda não estão familiarizadas com os serviços oferecidos. “A equipe do AMI é comprometida em promover o bem-estar de mães e filhos com dedicação e empatia, adaptando os cuidados de acordo com as necessidades individuais de cada paciente.”

Ainda durante a apresentação, a secretária falou sobre a Programação Anual de Saúde – PAS, instrumento de gestão que busca pactuar anualmente objetivos, metas e ações previstos no Plano Municipal de Saúde, sendo que entre estes objetivos estão aqueles relacionados à melhoria dos indicadores de saúde no eixo materno infantil, como por exemplo, a realização da estratificação de risco para as gestantes; consultas de pré-natal – mínimo 7; visitas de um profissional de saúde até o quinto dia de vida do recém-nascido e consulta puerperal até 42 dias; realização de consultas de puericultura até dois anos; redução e manutenção da  mortalidade infantil para menos de um digito; zerar morte materna; aumentar número de partos naturais; oportunizar consultas odontológicas para gestantes e crianças e identificar vulnerabilidade social.

Para o presidente da ACIT, Cristiano Dall’Oglio da Rocha, o encontro foi extremamente produtivo, ressaltando que a saúde das gestantes e das crianças desempenha um papel importante no bem-estar geral da comunidade. “Uma gestação saudável contribui significativamente para o bem-estar das mulheres, permitindo que elas realizem suas atividades diárias com maior tranquilidade”, conclui.