Campanha resulta em crescimento de 54% no número de exclusões do SPC

Campanha resulta em crescimento de 54% no número de exclusões do SPC

O consumidor toledano está com mais crédito. A campanha Seu Nome, Seu Patrimônio, promovida pelo Sistema de Proteção ao Crédito (SPC) da Associação Comercial e Empresarial (Acit) finalizou dia 10 de dezembro e impactou na maior regularização dos débitos no comércio. O número de exclusões – pessoas que estavam com restrição de crédito no sistema por falta de pagamento e que regularizaram a situação – aumentou 54,72%. Agora a intenção é promover campanhas de consumo consciente, para que esses clientes não voltem a gastar acima de suas capacidades de pagamento e retornem à inadimplência.

O diretor de informações cadastrais do SPC da Acit Claudenir Machado explica que os dados preliminares mostram que entre as empresas participantes, o número de exclusões aumentou 54,72% comparado com o mesmo período do ano anterior. "Foi um resultado muito bom, acima do esperado, porque prevíamos um incremento de 30%", avalia.

Ele complementa que alguns casos isolados tiveram um aumento muito superior. "Por exemplo, uma loja de móveis no Centro, que em 2013 realizou apenas três exclusões e este ano, com a campanha aumentou para 32, mais de 1.000% superior", cita.

Machado complementa que mais de 100 empresas aderiram oficialmente à campanha de recuperação de crédito, porém, na prática todas acabaram se beneficiando, já que o consumidor procurou seus credores ao saber da oportunidade de renegociar as dívidas e limpar o nome. "E quando um cliente chega a uma empresa querendo pagar, todas acabam negociando e isso aumentou o número de exclusões no comércio como um todo", acrescenta.

MAIS CRÉDITO

Na avaliação do responsável, a campanha foi positiva, pois o objetivo de recuperar parte do dinheiro que estava parado no comércio foi atingido. Ele enfatiza que as duas partes ganham quando o consumidor regulariza sua situação, ele que volta a ter crédito no mercado para a compra de seus bens necessários e de satisfação e ainda o fornecedor, que recebe um volume que estava parado, sem previsão de entrada.

Porém, o consumidor que recuperou seu crédito não deve já sair aproveitando a situação. Machado afirma que agora continua um trabalho importante, o da conscientização. "Vamos fazer o SPC nas Ruas para orientar que as pessoas devem cuidar desse nome, desse patrimônio. Que devem comprar com cautela", afirma.

CONSUMO CONSCIENTE

Ele acrescenta que o modelo realizado atualmente não é o ideal, aquele que o 13º é usado para regularizar dívidas, recuperar crédito e voltar a consumir. "Porque na verdade o comércio somente recupera o dinheiro que vendeu ao longo do ano. Depois ainda há muitos consumidores que com crédito voltam a comprar sem controle e retornam para o cadastro no SPC e voltam a ter restrição. Para o comércio são clientes a menos, isso é ruim para e economia geral", explica o ciclo perigoso.

Para evitar esse ciclo, o SPC pretende intensificar a campanha para promover o consumo consciente. "É preciso controlar o orçamento doméstico, saber administrar as finanças, cuidar com as armadilhas do microcrédito, porque a pessoa acaba assumindo várias pequenas parcelas que cabem em seu orçamento, mas a soma delas não. Tem que ter cautela com os cartões de crédito, pois muita gente de boa índole acaba se endividando, não consegue sair e vira uma bola de neve", indica.

CAMPANHA
A campanha Meu Nome Meu Patrimônio foi dividida em duas etapas. A primeira em outubro, voltada aos empresários, para que registrassem suas inadimplências, inclusive com incentivo de valor menor e que organizassem formas de facilitar o pagamento das dívidas dos clientes. Na segunda etapa, os consumidores procuraram as lojas para regularizar seus créditos diante de condições facilitadas, como redução dos juros e multas, parcelamentos, entre outras.

FONTE: Jornal do Oeste 

REDES SOCIAIS

Receba nossas novidades

Cadastre-se em nossa newsletter e fique
por dentro de tudo que acontece.